Skip to content

A taça que faltava


Leonardo Lopes vence, convence e fatura título inédito na FN1

Por Vinicius Vianna

Nas duas temporadas anteriores ele bateu na trave. Chegando na metade final da T2/2014, ele provocou um certo assombro ao dominar as etapas finais com maestria, aliado a excelente administração dos pneus, que lhe rendeu o apelido de “Jenson Button do AV”. Apontado como favorito para o campeonato da T1/2015, o início regular, com acidentes e quedas o impediu de entrar na disputa diretamente, mas o piloto ainda sim venceu corridas e chegou próximo da taça. E agora ela enfim chegou para ele: Leonardo Lopes (Sinister) assinou em grande estilo seu nome no troféu de campeão da FN1, com uma vitória irrepreensível no carrossel de Hungaroring. Em segundo, Rhanan Gomes (Kemba), mostrando a crescente evolução e uma maestria no uso dos pneus. Fechou o pódio Leonardo Imolesi (Sinister Project), completando a festa da equipe rubro-negra.

Amado por uns e odiado por outros. Hungaroring divide opiniões quando o assunto são as corridas. Se alguns pilotos gostam do desafio técnico que a pista proporciona, outros simplesmente não entendem como foi possível a construção de uma pista onde a ultrapassagem é quase impossível. Mas fato é que a pista construída em 1985 e inaugurada no ano seguinte tem sua importância histórica. Não pelo fato de ter sido palco da maior ultrapassagem da história da F1 no seu ano de debute, ou pela bela manobra de Rubens Barrichello sobre Michael Schumacher em 2010.

A história e a importância do circuito transcendem as linhas do automobilismo. O traçado construído em apenas 8 meses em Mogyoród foi responsável por ser o primeiro GP em terras localizadas por trás da Cortina de Ferro, fazendo com que a capitalista F1 entrasse em terras dominadas sobre o autoritário regime socialista. Bem verdade que o regime começou a dissolver um ano após o egresso da categoria e no dia 23 de outubro de 1989, a República da Hungria foi instituída, curiosamente na mesma data que em 1956 uma revolta popular tentou pôr fim a ditadura, mas que foi massacrada pelo Exército Vermelho.

Histórias a parte, os pilotos da FN1 buscaram escrever a sua própria, procurando vaga entre os 10 melhores tempos do Q1. Felipe Giro (Snow Schatten), principal antagonista de Lopes liderava o Q1 com pouco mais de 3 minutos do início e se manteve até o final, sendo acompanhado por Imolesi, Lopes, Gomes, Renan Barbosa (Marsch), Anderson Roberto (Hattrick), Armando Goñes (Pegoraros), Rafa Souza (Snow Schatten), João Gabriel (Sinister Project) e Antenor Júnior (Shadow HotCar). No Q2, o primeiro a liderar foi Gomes, marcando sua volta a pouco menos de 2 minutos para o encerramento. Lopes toma a dianteira a menos de 1 minuto para o final, sendo pouco mais de 1s mais rápido que Gomes. Giro buscou a pole, mas ainda ficou 0.8s de Lopes que garantiu uma importantíssima pole no travado traçado húngaro.

Na largada, apesar da boa saída de Giro, Lopes se mantém a frente. Em uma primeira volta sem incidentes, as únicas alterações foram Roberto, que conseguiu a manobra sobre Barbosa na curva 3, retomando a 5ª colocação e Souza, que mesmo com pneus médios superou Gabriel e já era 8º. Júnior teve um grande déficit, caindo 3 posições na 1ª volta. Helber Santos (Rebellion) teve problemas na volta seguinte e escapou na curva 9, caindo para a última colocação. E contrariando a lógica do travado circuito, Emerson Czerkawsky (HVM) e Fábio Vasconcelos (Storm Shadow HotCar) conseguem o improvável de duelar lado a lado pelo “kartódromo”. O #56 da HVM chega a ocupar a 14ª posição, mas leva o X na curva 11. O prejuízo fica maior ainda ao perder a 15ª posição para Santos, que aproveitou a disputa dos pilotos que iam a frente para se aproximar e iniciar sua recuperação na etapa.

O horizonte começou a ficar ainda mais favorável para Lopes quando Giro se acidentou na saída da curva 11. O piloto foi além do limite da área de escape, perdeu o controle do carro, atravessou a pista e bateu violentamente no guard-rail, abandonando a etapa próximo a volta 5. Na disputa pela 3ª posição um belo espetáculo entre Gomes e Roberto, com direito a 2 Xs do piloto da Kemba. O primeiro, na curva 1, logo após o mergulho do piloto da Hattrick se valendo do DRS. E o segundo veio na curva seguinte, onde novamente Roberto tomou a linha de dentro, mas Gomes se segurou pelo lado externo e ganhou a preferência na curva seguinte, se mantendo em 3º. Enquanto isso, na 12ª a disputa entre Czerkawsky, Santos e Vasconcelos tomava as atenções da prova, com o #84 buscando a manobra em diversos pontos da pista até conseguir, na volta 9, tomar a posição do #56 na freada da curva 1. Czerkawski ainda perdeu a posição para Vasconcelos após rodar na curva 8.

Na volta 11, os pilotos começas a parada nos boxes. Barbosa, de pneus macios e surpreendentemente Souza que saíra com os pneus médios vão a box. Roberto também faz sua parada, mas demora mais a retornar a pista por conta do reparo na asa dianteira. Gomes, Goñes e Pedro Moura (Pegoraros Racing) param na volta seguinte. Júnior que saíra com os compostos médios ocupava a 5ª posição e poderia surpreender a todos, mas o #120 perdeu o controle do carro na saída da curva 2, bateu e ficou sem as asas dianteira e traseira. Gomes sobe para a 2ª posição ao superar Imolesi na entrada da curva 2, se valendo da melhor aderência dos compostos macios, frente aos médios do adversário.

Na volta 22, Barbosa assume a 6ª posição ao superar Moura na curva 1. E na volta seguinte a nova rodada de paradas de box se inicia, com Goñes e Souza, que curiosamente disputavam a 4ª posição em pista. Na volta 24, Lopes e Gomes também vão a box realizar suas paradas, voltando com os pneus macios, enquanto Imolesi assume a liderança da etapa. Na volta 25 é a vez do #14 ir a box retornando também com os compostos macios dividindo a 3ª posição com Goñes que leva a melhor. O piloto da Sinister Project recupera a posição na volta seguinte, usando do DRS e tomando a linha de dentro na travada curva 1.

Gomes veio buscando tomar a liderança de Lopes após o retorno a pista, mas o piloto da Sinister permanecia incólume na primeira posição. Na volta 29 os pilotos chegam a se tocar na curva 5, mas permanecem em pista e Lopes consegue abrir uma boa vantagem para Gomes.  E na volta 33, Czerkawski entra para a lista de abandonos ao bater no muro, após a saída da curva 1. O piloto perdeu a traseira do carro e foi de frente com o muro, perdendo uma das rodas do veículo e abandonando a etapa. E na 9ª posição, Júnior supera Lupo Forati (HVM) na curva 1 a 11 voltas do encerramento. Lopes vem a box na volta 35 e é acompanhado por Goñes, Vasconcelos, Moura, Imolesi e Souza, todos realizando a parada final e retornando a pista com pneus macios. Um fato inusitado foi o acidente entre Goñes e Vasconcelos. O piloto da Storm Shadow acabou acertando o carro da Pegoraros na saída dos boxes, ocasionado a perca da asa traseira de Goñes e da dianteira de Vasconcelos. Tentando retornar aos boxes, Goñes acaba batendo forte na saída da curva 4 e abandonando a etapa.

Com a parada de Gomes na volta 36, Lopes retoma a liderança e parte em busca da vitória, enquanto Souza, com pneus macios, supera Barbosa na curva 1, a 8 voltas do encerramento, subindo para a 4ª posição. E ao final das 45 voltas, Lopes cruza em primeiro, vencendo e levando o título da categoria com uma etapa de antecipação.

Na coletiva, Imolesi disse que o resultado foi inesperado. O piloto disse que ainda teve momentos de tensão com a oscilação da internet, mas no final tudo correu bem, conquistando seu primeiro pódio na categoria. Gomes iniciou dizendo que optou por usar os pneus médios no final, com o carro mais leve buscando um melhor rendimento. O piloto também expressou a alegria deter chego em segundo, resultado este que poderia ter vindo na etapa anterior segundo o mesmo. Gomes finalizou dizendo que seria muito difícil tirar a vitória do piloto da Sinister. Lopes, vencedor e campeão, iniciou sua coletiva sem esconder a felicidade da conquista do campeonato que tanto almejava. O piloto disse que no Q2 veio com o carro quase vazio para marcar a pole. O piloto disse que quando soube que Giro havia batido, teve que lutar para manter a concentração, e que isso se agravou na metade final da etapa. O piloto dedicou o título a todos que ajudaram o piloto a conseguir o feito inédito de ser campão nas 2 categorias máximas dentre os monopostos e turismos.

Os pilotos agora vão para a final da T2 em um dos palcos mais amados do automobilismo: Spa-Francorchamps sediará o encerramento da categoria que ainda tem mais títulos em jogos. O vice-campeonato e o título de equipes ainda devem tumultuar os 7km do traçado belga. O “fim da festa” da FN1será ao vivo, pelo portal XTR no dia 23/08 a partir das 20:00.

Resultado da sessão classificatória:

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points
1 Leonardo Lopes Sinister Race Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:16.172 -:–.— 003 3
2 Felipe Giro Snow Schatten Racing Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:17.008 0:00.835 002 0
3 Leonardo Imolesi Sinister Project NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:17.216 0:01.042 004 0
4 Rhanan Gomes Kemba Snow Schatten NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:17.234 0:01.062 003 0
5 Anderson Roberto Hattrick Racing NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:17.444 0:01.271 003 0
6 Renan Barbosa Marsch Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:17.511 0:01.339 003 0
7 Armando Gones Pegoraros Racing NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:17.657 0:01.483 003 0
8 Joao Gabriel Sinister Project NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:18.131 0:01.959 004 0
9 Rafa Souza Snow Schatten Racing Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 1:18.776 0:02.602 002 0

Resultado da corrida:

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points Race%
1 Leonardo Lopes Sinister Race Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:11.779 -:–.— 045 67 100
2 Rhanan Gomes Kemba Snow Schatten NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:15.257 0:03.478 045 57 100
3 Leonardo Imolesi Sinister Project NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:30.667 0:18.887 045 50 100
4 Rafa Souza Snow Schatten Racing Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:41.813 0:30.034 045 45 100
5 Renan Barbosa Marsch Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:56.390 0:44.612 045 41 100
6 Joao Gabriel Sinister Project NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:14.505 + 1 Laps 044 38 98
7 Pedro Moura Pegoraros Team Race NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:51.349 + 1 Laps 044 35 98
8 Antenor Junior Shadow Racing NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:02:11.574 + 1 Laps 044 32 98
9 Lupo Forati Hola Viva Mexico Racing Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:02:29.945 + 1 Laps 044 29 98
10 Helber Santos Rebellion NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:21.177 + 3 Laps 042 26 93
11 Fabio Vasconcelos Storm Shadow NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 01:01:55.850 + 3 Laps 042 23 93
12 Armando Gones Pegoraros Racing NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 Accident + 11 Laps 034 15 76
13 Emerson Czerkawsky Hola Viva Mexico Racing Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 Accident + 15 Laps 030 12 67
14 Neto Vidal Rebellion NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 Suspension + 32 Laps 013 0 29
15 Anderson Roberto Hattrick Racing NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 DNF + 35 Laps 010 0 22
16 Felipe Giro Snow Schatten Racing Team NeoBR-AV FN1 NeoBR-AV FN1 Accident + 42 Laps 003 0 7

Assista o VT completo da etapa:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: