Skip to content

Um novo Rei na terra da Rainha


Após revés da 1ª bateria, Cristiano Bohessef se recupera, vence e celebra título no histórico Silverstone. 

Por Vinicius Vianna  

Conhecida pelo tradicional regime, a Inglaterra tem adotado a monarquia desde 927, com Etestano (Athelstane ou Athelstan), da casa de Wessex. O último Rei inglês foi George VI, pai da atual monarca Elisabeth II, proveniente da casa de Windsor, que curiosamente tem origem alemã, país com qual a Inglaterra travou árduas batalhas principalmente nas 2 Grandes Guerras Mundiais. Apesar do título, reis e rainhas inglesas não tem sob suas responsabilidades o governo do país, sendo esta tarefa a cargo do primeiro-ministro, cargo este instituído em 1721, sob nome de Primeiro Lord do Tesouro, no reinado de George I. Alguns nomes históricos como Winston Churchill e Margaret Thatcher, a Dama de Ferro, passaram pelo comando das terras anglicanas. E talvez inspirado em Thatcher, Cristiano Bohessef (Snow Schatten) chegou a sua conquista com mãos de ferro, se recuperando de uma primeira bateria não muito favorável. A primeira bateria foi vencida por Diego Said (Black Wings) com Nathan Marchon (Sinister) em segundo e Eduardo Marques (Marsch Racing) em 3º. Na segunda, Bohessef venceu, com Said em segundo e Paulo Roberto (Marsch Racing) em 3º.

Silverstone dispensa apresentações. Um dos traçados mais históricos do globo, tem importância maior para a F1. Segundo muitos, a categoria como a conhecemos teve sua primeira corrida no traçado inglês, nos idos de 1950. Vencida por Guiseppe Farina, a bordo de sua Alfa Romeo, o piloto venceu com direto a pole position e volta mais rápida o desafio pelos 4.649m. Tentando se igualar a Farina, os pilotos partiram em busca da pole position pelos atuais 5.891m e o primeiro a marcar tempo foi Bohessef, com pouco menos de 4 minutos de treino classificatório, que se manteve na posição e honra até o termino, garantindo a pole position.

Mesmo com um grid reduzido, a largada era se suma importância a todos, e no apagar das luzes vermelhas, Bohessef salta a frente, mas logo sucumbe aos ataques de Roberto, que lhe toma a primeira posição na Village, concluindo a manobra na curva seguinte. Talvez optando por uma corrida conservadora, o #2 perde mais 2 posições, caindo para 4º ao ser superado por Marques e Said, na Brooklands e Luffield respectivamente. O piloto se recupera ao superar Said na antiga Reta dos Boxes. Said retoma após a abertura da volta 2 no mergulho para a Village e os pilotos vem se digladiando a frente de Marchon pela volta toda, com Bohessef tentando a manobra sobre o #631 por fora na Copse e na Stowe. O piloto da Sinister se aproveita de um novo ataque de Bohessef sobre Said na Abbey e posiciona bem o carro, passando ambos e assumindo a 3ª posição na freada da curva 2.

No segundo pelotão, que ia do 6ºao 10º, uma disputa intensa acabou ocasionando um pequeno acidente. Sergio Rodrigues (Sinister) vinha buscando tomar a 7ª posição de Lucas Barbosa (Marsch). Os pilotos acabaram se tocando na Club e Barbosa rodou, sendo acertado por Algrans Júnior (Black Wings) que vinha logo atrás. Apesar dos toques, todos os pilotos permaneceram em pista. Mais à frente, Marchon escorrega na saída da curva 3 e cai para 5º. Marques também é mais um dos que acabaram sendo vítimas do veloz traçado inglês, ao passar do ponto na curva 1, rodar e cair para 4ª. Próximo a metade da etapa, Marchon vai a box para troca dos compostos enquanto Bohessef assume a 2ª posição ao superar Said na Stowe. O piloto da Black Wings tenta retomar na freada da Vale, mas o #2 se defende bem e passa na 2ª posição pela Reta dos Boxes a 13 minutos do encerramento da primeira bateria.

Júnior não deve sair com boas lembranças do tradicional traçado inglês. Sofrendo com os compostos próximo aos 10 minutos finais da bateria, o piloto que vinha brigando com Marques que recentemente trocara os pneus, acabou se confundindo e entrando pelo antigo box de Silverstone, após o contorno da Woodcote. O piloto da Black Wings ainda se acidentou feio, tentando voltar a pista e acabou abandonando. Outro piloto que se acidentou, mas um pouco mais moderado foi Rachilei Silva (Marsch), que após perder a 4ª posição para Said, acabou escapando na saída da Chapel, rodou na grama e bateu com a parte dianteira do muro, perdendo a asa e abandonando a 6 minutos do encerramento.

A tranquilidade e possibilidade de confirmação da taça para Bohessef ganhou contornos dramáticos quando, entrando pelos 5 minutos finais, o piloto foi tentar aplicar uma volta em Barbosa. O #29 acabou reduzindo a velocidade de maneira abrupta, o que fez com que o piloto da Snow Schatten atingisse a parte traseira do carro da Marsch, perdendo a asa dianteira. Após a parada, o piloto retorna na 7ª posição. Restando 30s para final, Said assume a liderança ultrapassando Roberto por fora na Village que vinha fazendo o bólido da Marsch Racing com o que restava dos pneus. Em situação idêntica, Rodrigues perde a 4ª posição para Marques na freada da Brooklands. Marchon, que contava com pneus em melhores condições, assumiu a 2ª posição ao superar Roberto que brigava para contornar a Copse. Enquanto Marques ainda conseguiu superar Roberto, terminando em 3º, Said cruzava a linha de chegada, vencendo a primeira bateria da noite.

Na entrevista, Marques disse que teve um bom início de prova e que os compostos ficaram muito ruins após a rodada. O piloto disse que optou por manter um pouco mais o carro em pista e trocar os pneus, fato esse que lhe garantiu o 3º lugar, frente aos pilotos que não fizeram parada para troca.  Marchon começou dizendo que a corrida foi ruim no início, com a má participação no período classificatório. O piloto disse que optou por antecipar a parada na tentativa de ganhar a liderança, mas que não surtiu efeito. Finalizando, o #255 disse que a equipe estava focada no título de construtores, já que o troféu de pilotos estava praticamente decidido a favor do #2 da Snow Schatten. Finalizando a primeira coletiva da noite, Said começou dizendo que não sabia se iria parar ou não. O piloto disse que optou por realizar a parada, dado o estado deplorável de seus compostos e percebendo que o líder vinha sofrendo com os compostos, enxergou a possibilidade de vitória.

Na segunda bateria, com a inversão dos 10 pilotos em pista, coube a Júnior sair na pole position. O #321 não largou bem, o que permitiu a Silva tomar-lhe a ponta. Na tentativa de recuperá-la, Junior freou dentro na Village e acabou espalhando, o que permitiu um ataque de Bohessef, que já era 3º. O piloto da Black Wings se defendeu bem na Arena, mas acabou espalhando na saída da Luffield, o que permitiu ao #2 assumir a 2ª posição na antiga Reta dos Boxes. Marques teve problemas no início e bateu forte após espalhar na saída da Arena, ficando sem a asa dianteira.

Luiz Kike (Sinister Project) tentou superar Júnior na batalha pela 3ª posição na Vale, mas os pilotos acabaram se tocando, o que gerou um transito na Club, permitindo que Barbosa, em uma manobra ousada, assumisse a 5ª posição sobre Kike por dentro na veloz Abbey, após a abertura da volta 2. Bohessef assume a liderança superando Silva por fora na Stowe. O Piloto da Marsch esboça uma reação na travada Vale, mas o piloto da Snow Schatten se mantém a frente. Em uma nova tentativa, Silva acaba perdendo o controle do carro na Abbey, o que assusta Rodrigues que vinha logo atrás. O piloto da Sinister consegue desviar, mas perde algum tempo. Enquanto isso, Marchon supera Júnior na freada da Village, assumindo a 4ª posição.

E na 5ª, nada menos do que 5 carros vinham se digladiando, alternando posições, o que parecia a largada de uma corrida. Said, Júnior, Kike e Roberto vinham em 2 grupos pela antiga Reta do Hangar. Roberto consegue subir para 6º superando Júnior por dentro na Copse próximo aos 5 minutos de etapa. Quem também vinha alavancando posições era Júnior que chegou ao 8º lugar ao superar Barbosa na freada para a Brooklands. E como era esperado para a maioria, as rodadas de pits começaram aos 14 minutos para o encerramento, com Marchon e Barbosa realizando suas paradas. Roberto e Rodrigues também vão aos boxes na volta seguinte. Com 10 minutos para o fim, Silva assume a ponta na freada da Stowe ao superar Bohessef. Ambos vinham economizando compostos para evitar uma parada de box. Além dos 2 ponteiros, somente Said não parara para troca dos compostos. E os 3 começavam a ver uma aproximação forte dos pilotos que realizaram parada nos minutos finais de etapa.

Sofrendo com o desgaste, Silva trava as rodas na freada da Village, o que permite a aproximação de Bohessef a 5 minutos do encerramento. Com pouco menos de 2 minutos para o fim Bohessef retoma a liderança da Luffield, aproveitando-se da pior condição de pneus de Silva. O #295 da Marsch ainda perde a 2ª posição para Said na abertura da última volta e vê Rodrigues se aproximar rapidamente, dado os pneus em melhores condições. A manobra não tarda e na entrada da antiga Reta dos Boxes, Rodrigues já é 3º.  E aí, mais uma vez o Sobrenatural de Almeida ataca, com direito a uma pane seca para o #211. Com isso Said se segura como pode do ataque final de Roberto. Se Bohessef cruza a linha de chegada, vencendo de maneira confortável, o #631 a menos de 0.1s de Roberto, mas se mantém na segunda colocação.

Na coletiva final da noite, Roberto o piloto disse que realmente ainda tem algumas dificuldades na adaptação do carro, mas que espera coletar o maior número de informações pra focar melhor na temporada seguinte. Já Said, que quebra a sina das péssimas segundas baterias, começou dizendo que resolveu trocar a estratégia da primeira bateria, por um ajuste onde conseguiu poupar mais os pneus. O piloto finalizou dizendo que as últimas curvas, em especial as para a direita, foram muito difíceis, mas que estava muito feliz pelos 2 bons resultados que o colocaram como vice-líder no campeonato de pilotos. Por fim, o vencedor e campeão antecipado, Cristiano Bohessef, disse que chegou na corrida sem saber muito como seria o comportamento do carro, devido à ausência de treinos. O piloto disse que percebeu que teria que ter um ritmo muito contido para que conseguisse chegar ao final sem paradas. Bohessef finalizou dizendo que depois dos problemas na primeira bateria, largar um pouco mais à frente na segunda o ajudou a manter a estratégia e conseguir a vitória.

O próximo desafio dos pilotos da FN2 será a final no seletivo traçado do Algarve. Se o título de pilotos está decidido, o mesmo não vale para a taça de equipes, e de 2º e 3º lugares. Dia 21/08, as 22:00 a FN2 terá mais uma etapa agitada e decisiva e os nomes que entrarão para o Hall da Fama da Liga serão confirmados, em mais uma transmissão ao vivo pelo Portal XTR.

Resultado da sessão classificatória:

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points
1 Cristiano Bohessef Snow Schatten Racing Team NeoBR-AV NeoBR-AV 1:37.234 -:–.— 006 3
2 Paulo Roberto Marsch Racing NeoBR-AV NeoBR-AV 1:37.285 0:00.049 006 0
3 Eduardo Marques Marques GP NeoBR-AV NeoBR-AV 1:37.626 0:00.391 005 0
4 Sergio Rodrigues Sinister Project NeoBR-AV NeoBR-AV 1:38.029 0:00.793 006 0
5 Rachilei Silva Marsch Team NeoBR-AV NeoBR-AV 1:38.149 0:00.915 005 0
6 Nathan Marchon Sinister Race Team NeoBR-AV NeoBR-AV 1:38.534 0:01.300 006 0
7 Diego Said BlackWings RT NeoBR-AV NeoBR-AV 1:39.283 0:02.048 004 0
8 Lucas Barbosa Marsch Team NeoBR-AV NeoBR-AV 1:39.661 0:02.426 005 0
9 Luiz Kike Sinister Project NeoBR-AV NeoBR-AV 1:39.959 0:02.724 005 0
10 Algrans Junior BlackWings RT NeoBR-AV NeoBR-AV 1:41.360 0:04.125 005 0

Resultado da primeira bateria:

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points Race%
1 Diego Said BlackWings RT NeoBR-AV NeoBR-AV 25:55.854 -:–.— 015 65 100
2 Nathan Marchon Sinister Race Team NeoBR-AV NeoBR-AV 26:01.406 0:05.552 015 57 100
3 Eduardo Marques Marques GP NeoBR-AV NeoBR-AV 26:09.975 0:14.122 015 50 100
4 Paulo Roberto Marsch Racing NeoBR-AV NeoBR-AV 26:11.391 0:15.538 015 46 100
5 Sergio Rodrigues Sinister Project NeoBR-AV NeoBR-AV 26:20.090 0:24.235 015 41 100
6 Luiz Kike Sinister Project NeoBR-AV NeoBR-AV 26:45.135 0:49.281 015 38 100
7 Cristiano Bohessef Snow Schatten Racing Team NeoBR-AV NeoBR-AV 26:50.867 0:55.012 015 36 100
8 Lucas Barbosa Marsch Team NeoBR-AV NeoBR-AV 26:02.636 + 1 Laps 014 32 93
9 Rachilei Silva Marsch Team NeoBR-AV NeoBR-AV Suspension + 5 Laps 010 24 67
10 Algrans Junior BlackWings RT NeoBR-AV NeoBR-AV Suspension + 8 Laps 007 0 47

Resultado da segunda bateria:

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points Race%
1 Cristiano Bohessef Snow Schatten Racing Team NeoBR-AV NeoBR-AV 25:50.391 -:–.— 015 66 100
2 Diego Said BlackWings RT NeoBR-AV NeoBR-AV 26:01.025 0:10.635 015 57 100
3 Paulo Roberto Marsch Racing NeoBR-AV NeoBR-AV 26:01.164 0:10.772 015 51 100
4 Nathan Marchon Sinister Race Team NeoBR-AV NeoBR-AV 26:11.645 0:21.254 015 45 100
5 Rachilei Silva Marsch Team NeoBR-AV NeoBR-AV 26:14.371 0:23.981 015 41 100
6 Algrans Junior BlackWings RT NeoBR-AV NeoBR-AV 26:42.189 0:51.798 015 38 100
7 Lucas Barbosa Marsch Team NeoBR-AV NeoBR-AV 26:45.669 0:55.279 015 35 100
8 Eduardo Marques Marques GP NeoBR-AV NeoBR-AV 27:04.676 1:14.285 015 32 100
9 Luiz Kike Sinister Project NeoBR-AV NeoBR-AV Suspension + 1 Laps 014 24 93
10 Sergio Rodrigues Sinister Project NeoBR-AV NeoBR-AV Fuel + 1 Laps 014 21 93

Assista o VT completo da etapa:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: