Skip to content

Digno de Shakespeare


Sérgio Rodrigues vence etapa de Toronto e sagra-se campeão da IN1

Por Vinicius Vianna

O grande escritor William Shakespeare é famoso por suas tragédias e romances com reviravoltas e laços impossíveis. Seria possível que o escritor inglês, falecido aos 51 anos em 1616 imaginaria que quase 400 anos depois existiria um esporte chamado automobilismo virtual? E ainda assim teria escrito a trajetória de um piloto em seu primeiro título na categoria que tanto almejava? E que escolhera como palco para sua tragédia o mesmo local em que torneios atrás marcara a perca do título certo? Sendo lapidada pelo inglês ou não, a noite de terça-feira marcou o calendário da T2 com mais um campeão. Sérgio Rodrigues (Sinister), que batera na trave no ano passado, desta vez não deu sopa para o azar, acelerou fundo, venceu a etapa e levou pra casa o título de campeão. Em segundo, Eduardo Marques (Marques GP) tentou buscar a vitória próximo ao final, mas não foi páreo para o #745. Fechou o pódio Leonardo de Souza (Snow Schatten) que assim como Marques conseguiu a vaga no pódio nos metros finais de etapa.

Disputado a margem do lago Ontário desde 1986, o circuito de Toronto está incrustado dentro de um distrito com pouco mais de 500.000m2, com monumentos históricos, áreas esportivas, dentre várias outras coisas. Conhecido como Exibition Place, o complexo abriga uma pista com uma boa média de velocidade assim como Melbourne e parece ter sido escolhido a dedo para a exibição de gala de Rodrigues. Mas o piloto não teve vida fácil: no treino de classificação, Cristiano Bohessef (Snow Schatten) já era o mais rápido, com apenas 3 minutos do início, tentando manter vivo o sonho do título. O #2 manteve-se à frente, marcando a pole-position e baixando um pouco mais a diferença para o piloto da Sinister, que subiu para a 2ª posição no zerar dos cronômetros.

Na largada, Rodrigues já parte em busca da liderança e conseguindo após realizar as curvas 1 e 2 por fora. Bohessef tentou retomar a liderança após a extensa reta oposta, mas acabou passando reto na forte freada da curva 3 e por sorte não tocou o muro nem os adversários. Helber Santos (Sinister Project) fez bela manobra na volta seguinte e assumiu a 5ª posição ao superar André Kimi (Grip Racing) por fora na curva 3. Kimi tentou retomar na curva 5, mas Santos fechou os espaços e se manteve em 5º.  Bohessef da mesma maneira que Santos retomara a liderança para si e, de quebra, marcara a melhor volta da etapa, mostrando toda a gana de adiar para a última etapa a decisão do campeonato.

Mais atrás, Antenor Júnior (Shadow HotCar) que largara do fim do grid, assume a 13ª posição ao superar Ricardo Prediger (Schnell) por fora na curva 2. Voltas mais tarde, Felipe Portela (Zero Autosportif) que vinha pela 16ª posição acabou errando a freada para a curva 3, bateu e perdeu a asa dianteira e também danificou a suspensão, optando por abandonar a etapa e acionando a primeira bandeira amarela da etapa. E logo na relargada, mais uma bandeira amarela, mas desta vez sem motivo aparente. Na relargada que foi efetiva, nenhuma confusão logo na 1ª curva, mas na curva 3, Santos tentou superar Souza por fora e acabou rodando, mas sem ocasionar uma nova bandeira amarela.

Diego Said (Black Wings) alcançou o top10 na volta 17, ao superar Higo Jefferson (Morredores VRT 1) na curva 9. Os pilotos dividiram as 2 curvas seguintes lado a lado, mas Said conseguiu entrar melhor na reta e concretizar a ultrapassagem. A frente dessa briga vinha Prediger, que acabou destracionando na saída da curva 3 e bateu no muro, ficando sem a asa dianteira. Fábio Marques (Black Wings) também foi vítima da temida curva 3, quando tentava superar Jefferson em busca da 9ª posição. O #213 passou reto, indo de encontro a proteção de pneus. Sem danos mais sérios, exceto pela perda da asa dianteira, o piloto voltou à pista, ocasionando uma nova bandeira amarela, que promoveu a primeira parada nos boxes de boa parte do grid. Antes da intervenção do safety-car, entretanto, Bohessef viu a enorme vantagem que tinha para Rodrigues ruir, ao tocar no carro de Eduardo Silvestre (Zero Autosportif), que estava rodado na saída da curva 5. Com a parada para reparos o piloto da Snow Schatten regressou na 5ª posição. Sem irem aos boxes Souza e Edilson Carneiro (Morredores VRT 2) assumem a 1ª e 2ª posições respectivamente.

Na relargada, Bohessef se livra dos retardatários e busca recuperar as posições o mais rápido possível. Mas um novo revés para o #2: na freada para a curva 3, já tão conhecida e falada, o piloto acaba tocando na traseira de Rodrigues, ficando sem a asa dianteira novamente e de quebra rodando, sendo obrigado a esperar todo o pelotão passar por ele, caindo para uma longínqua 10ª posição. A sorte pareceu virar para Bohessef quando Rodrigues perde o ponto da freada da curva 3 perto da metade da etapa. Por sorte, o piloto da Sinister não danifica o carro, mas cai da 3ª para a 8ª colocação. O piloto ainda toma um novo susto no mesmo local na volta 30 ao se deparar com Jefferson rodado. E o calvário de Rodrigues em Toronto parecia que se repetiria, quando piloto escapou e tocou o muro na entrada da reta dos boxes, ocasionando uma nova bandeira amarela.

Na relargada, Said manteve a primeira posição, sendo seguido de perto por Marques, que lhe toma a posição na curva 3, restando pouco menos de 25 minutos para o fim da etapa. Na volta 43, Marchon supera Souza ao final da reta oposta e assume a 3ª posição. Bohessef, que vinha perseguindo Rodrigues desde a relargada decide tentar tomar para si a 5ª posição restando pouco mais de 10 minutos para o encerramento, afim de reduzir a vantagem de pontos do piloto da Sinister. Na dianteira, Marques é obrigado a parar para evitar uma pane seca, e com isso Souza retoma a liderança ao superar Said na freada para a curva 3. Com uma nova bandeira amarela, gerada pela rodada de Marchon na saída da curva 3, os pilotos novamente se aproximam, o que deixaria os minutos finais frenéticos. Com muitos pilotos indo a box para um splash-and-go, Rodrigues já aparecia em 2º, uma posição à frente de Bohessef. Nessas condições, o título já estava decidido em favor do piloto da Sinister.

Não ligando muito para a matemática e contrariando as expectativas, o #745 parte pra cima de Said na relargada. Com um ataque feroz no final da reta oposta e também na curva 5, o piloto consegue uma brecha na curva seguinte, suficiente para aos “trancos e barrancos” assumir a 1ª posição a 6 minutos do encerramento. Com Said aparentando economizar combustível para finalizar a etapa, forma-se uma disputa com 4 carros. Além do piloto da Black Wings, Bohessef, Marques e Souza batalhavam pelas 2 ultimas posições do pódio, já que Rodrigues abrira pouco mais de 1s para a batalha.

E próximo da semana que completa 29 anos da maior ultrapassagem de todos os tempos da F1, Marques quis confirmar que o AV não fica atrás das disputas reais. Em um movimento ímpar, o piloto da Marques GP tomou uma tangência diferente para a curva 5, e se espremendo entre o muro e a Black Wings de Said, ultrapassou não só o #631, mas também Bohessef, que tentara o ataque na saída da mesma curva. Forçado a tirar o pé, Said ainda acompanhou Marques finalizar a manobra dupla ao dividir a curva 6 com o #2 e sair a frente, mostrando além da ousadia do #303, uma perícia e respeito de todos os pilotos envolvidos. Enquanto Souza assumia a 3ª posição na última volta ao superar o companheiro na curva 3, Rodrigues deve ter tido a impressão que os 2.815m do traçado canadense haviam se transformado em 20km, pois Marques vinha buscando a manobra que lhe daria a sua primeira vitória. Mas a linha de chegada se aproximou e Rodrigues foi o primeiro a cruzá-la, vencendo e sagrando-se campeão da categoria.

Na coletiva Souza iniciou a coletiva dizendo que não imaginava chegar ao pódio dado que o piloto conseguiu treinar muito pouco ao longo dos 15 dias. O #26 disse que esperava poder lutar pela vitória, mas que talvez a parada final e os compostos mais gastos tenham lhe custado a possibilidade. Marques iniciou dizendo que a classificação não foi tão boa, mas que saia que o carro tinha bom potencial para a corrida. O piloto ainda disse que o cálculo de combustível acabou sendo errôneo, o que lhe custou parar em bandeira verde há minutos do fim, mas que graças ao safety-car pode voltar próximo aos líderes e realizar duas ultrapassagens de “olhos fechados”, em busca do pódio.

O campeão e vencedor, Sergio Rodrigues, disse que não esperava a vitória, levando em consideração o tamanho de danos que o carro tinha. O piloto contou que vinha com o carro saindo muito de traseira devido aos toques, mas que se surpreendeu com o fato de estar seguindo no ritmo dos líderes, mesmo vindo na 11ª posição. Ainda contando da corrida, Rodrigues disse que quando deu por si, já estava em 3º, próximo a vitória e com uma boa condição de pneus. Como estava preocupado com uma possível investida de Bohessef, o piloto contrariou o desejo da equipe e partiu pra cima de Said, alcançando o 1º lugar, a vitória e por consequência o título que tanto buscava na IN1.

Os pilotos partem para o veloz super speedway de Fontana para a final do campeonato. Embora o título de pilotos esteja nas mãos de Rodrigues, disputas pelo 3º lugar e também pelos construtores devem agitar a prova que marca a despedida do rFactor na categoria. A final da IN1 é ao vivo, dia 18/08, ao vivo na TV NeoBR.

Resultado da sessão classificatória:

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points
1 Cristiano Bohessef Snow Schatten Racing Team Indycar ICA DW12 0:55.049 -:–.— 011 3
2 Sergio Rodrigues Sinister Race Team Indycar ICA DW12 0:55.165 0:00.116 010 0
3 Nathan Marchon Sinister Race Team Indycar ICA DW12 0:55.388 0:00.340 011 0
4 Andre Kimi Grip Racing Indycar ICA DW12 0:55.426 0:00.378 007 0
5 Leonardo de Souza Snow Schatten Racing Team Indycar ICA DW12 0:55.745 0:00.697 007 0
6 Helber Santos Sinister Project Indycar ICA DW12 0:56.097 0:01.048 007 0
7 Eduardo Marques Marques GP Indycar ICA DW12 0:56.318 0:01.269 010 0
8 Paulo Roberto (R) Marques GP Indycar ICA DW12 0:56.322 0:01.273 011 0
9 Carneiro Edilson Morredores VRT 1 Indycar ICA DW12 0:56.706 0:01.658 010 0
10 Pedro Moura (R) Pegoraros Racing Indycar ICA DW12 0:56.759 0:01.710 006 0
11 Eduardo Silvestre Zero Autosportif Indycar ICA DW12 0:56.899 0:01.850 010 0
12 Higo Jefferson Morredores VRT 1 Indycar ICA DW12 0:57.113 0:02.064 006 0
13 Ricardo Prediger (R) Team Schnell Indycar ICA DW12 0:58.211 0:03.162 006 0
14 Antenor Junior Shadow Racing Indycar ICA DW12 1:00.457 0:05.408 003 0

Resultado da corrida:

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points Race%
1 Sergio Rodrigues Sinister Race Team Indycar ICA DW12 01:10:35.157 -:–.— 063 65 100
2 Eduardo Marques Marques GP Indycar ICA DW12 01:10:35.593 0:00.434 063 57 100
3 Leonardo de Souza Snow Schatten Racing Team Indycar ICA DW12 01:10:37.261 0:02.103 063 50 100
4 Cristiano Bohessef Snow Schatten Racing Team Indycar ICA DW12 01:10:38.388 0:03.229 063 46 100
5 Carneiro Edilson Morredores VRT 1 Indycar ICA DW12 01:10:40.359 0:05.201 063 41 100
6 Diego Said Black Wings Indycar ICA DW12 01:11:30.585 0:55.426 063 38 100
7 Nathan Marchon Sinister Race Team Indycar ICA DW12 01:10:41.171 + 1 Laps 062 35 98
8 Fabio Marques Black Wings Indycar ICA DW12 01:11:06.650 + 1 Laps 062 32 98
9 Ricardo Prediger (R) Team Schnell Indycar ICA DW12 01:10:57.154 + 2 Laps 061 29 97
10 Antenor Junior Shadow Racing Indycar ICA DW12 01:11:01.655 + 2 Laps 061 26 97
11 Andre Kimi Grip Racing Indycar ICA DW12 01:10:44.117 + 3 Laps 060 24 95
12 Paulo Roberto (R) Marques GP Indycar ICA DW12 DNF + 4 Laps 059 15 94
13 Eduardo Silvestre Zero Autosportif Indycar ICA DW12 01:11:18.267 + 6 Laps 057 17 90
14 Higo Jefferson Morredores VRT 1 Indycar ICA DW12 Accident + 7 Laps 056 9 89
15 Helber Santos Sinister Project Indycar ICA DW12 Suspension + 20 Laps 043 6 68
16 Pedro Moura (R) Pegoraros Racing Indycar ICA DW12 Suspension + 42 Laps 021 0 33
17 Mauro Botosso Kemba Snow Schatten Indycar ICA DW12 Suspension + 47 Laps 016 0 25
18 Felipe Portela (R) Zero Autosportif Indycar ICA DW12 Suspension + 58 Laps 005 0 8

Penalizações:

Paulo Roberto (R)
1.1 Contato fazendo adversário rodar: acréscimo de 25 segundos no tempo final de prova
Volta 39 / 0:09

Assista o VT completo da etapa:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: