Skip to content

Sorte de Campeão?


Com erro de Erick Alves a 10 minutos do fim, Anderson Roberto vence mas penalização devolve para Erick a vitória

Técnica, treino, estratégia, determinação, talento e, por que não, sorte? Ingredientes que combinados podem ser transformados em um campeão. Anderson Roberto (Sinister) tem contado com todos estes artifícios. Na 8º etapa, a sorte bateu a porta do piloto e com ela a vitória. Erick Alves (Snow Schatten) fez tudo o que podia e uma coisa que não devia: um erro ao final da etapa que lhe custou a vitória, pelo menos até o resultado final. Renan Barbosa (Marsch) figurou novamente em 3º, depois de mais uma etapa com muitas disputas.
Amado por uns e odiado por outros, o Circuito das Américas (COTA) é uma pista altamente seletiva, nas palavras do comentarista Jesias Meira. Com os pilotos levando o carro no limite durante a sessão classificatória, a Snow Schatten dominou: Armando Goñes foi o primeiro a marcar o melhor tempo a 6 minutos do encerramento, sendo superado somente por Alves no minuto seguinte. Ao final da classificação, os pilotos estavam dispostos da seguinte forma: Erick Alves, Anderson Roberto, Armando Goñes, Gonzalo Aiello (Snow Schatten), Renan Barbosa, Filipe Campos (Shadow), Mauro Botosso (Storm Shadow), Diego Said (Black Wings), Nathan Marchon (Sinister), Rafael Cruz (Hattrick), Marcio Medeiros (Hattrick), Fabio Vasconcelos (Dark Shadow), Rafael Sousa (Hattrick), Rogério Ribeiro (0km) e Ricardo Cabrera (Condotta 0km). Uma ausência sentida durante a volta de apresentação foi a de Helber Santos (Sinister), que caiu durante a virada de sessão.
Embora com a espantosa subida de 41 metros para uma curva cega, a largada transcorreu de forma tranquila e sem muitas alterações. Somente uma espalhada de Cruz na curva 11 e o toque entre Barbosa e Aiello na curva 16 foram registradas na volta inicial. Já na volta seguinte, Marchon e Campos andaram lado a lado durante as 3 primeiras curvas do traçado. O piloto da Sinister só consegui assumiu assumir a 6º colocação na freada da curva 12, após utilizar todo o vácuo gerado pelo adversário na Reta Oposta. Com um traçado que associa freadas fortes com curvas rápidas, COTA é generoso quanto a ultrapassagens… e devoluções, como na manobra de Aiello sobre Barbosa na curva 20. O piloto da Snow chegou a assumir a 4º colocação, mas acabou perdendo o posto durante a Reta dos Boxes e na freada da curva 1.
Brigas eram frequentes em todos os pelotões. Said assumiu a 8º colocação após executar manobra sobre Campos na curva 1. O piloto da Shadow não se abateu e recuperou a colocação algumas curvas a frente. Essa briga ganhou mais “tempero” com a chegada de Cruz e Botosso, que ocupavam respectivamente a 7º e 10º posições. Com o erro de Cruz após a abertura da 7º volta na curva 1, Campos assumiu a 7º colocação. Said que vinha desde a curva 7 tentando a manobra, teve sucesso na curva 11. Mas o piloto da Black Wings viu o adversário se aproveitar da longa Reta Oposta e recuperar a 8º colocação na freada da curva 12. Com os pilotos lado a lado, Botosso que só acompanhava, tentou superar ambos, mas somente passou Said, assumindo a 9º colocação.
A trupe continuou se alternando. Said recuperou a posição após o erro de Botosso na curva 7. O piloto ainda chegou a assumir a 8º posição, mas novamente escorregou, desta vez na curva 1. O piloto da Black Wings consegiu dar números finais a disputa somente 15 minutos após o inicio da etapa, quando ultrapassou Cruz na curva 9. Mais atrás, na briga pela 13º posição, Sousa passa Ribeiro, que recupera em um mergulho a lá Cesar Cielo na curva 11. Mas o piloto da 0km pouco pode comemorar pois espalhou duas curvas a frente e acabou caindo para a 15º colocação. Com o inicio das paradas nos boxes, o já esperado duelo de estratégias teve início. Barbosa, que fez a parada faltando pouco mais de 30 minutos para o encerramento, voltou atrás de Botosso, que permanecia com os compostos que iniciara a etapa. A manobra veio na travada curva 12, mas os pilotos acabaram se tocando. O piloto da Storm Shadow levou a pior por acabar rodando e perdendo a colocação para Said e Cruz, com quem disputara desde o início da prova.
Alves fez sua parada na volta 11. Com um ritmo muito forte no inicio do stint, o piloto superou Marchon logo que saiu dos boxes, assumindo a segunda colocação. Said, que brigara a corrida toda acaba batendo na saída da curva 14 e perde a asa dianteira. O piloto da Sinister, acostumado à corridas de Endurance soube novamente trabalhar bem com a durabilidade dos compostos. Entretanto, pela exigência da pista, começou a sofrer com o desgaste e ser superado por adversários com pneus em melhores condições. Próximo a metade da etapa, na mesma volta, Barbosa e Goñes assumiram respectivamente 3º e 4º colocações ao superar o piloto da equipe rubro-negra. Também neste momento a prova registrava 3 abandonos: Sousa, Cabrera e Medeiros.
Durante a segunda rodada de paradas, que ocorreu próximo os 15 minutos finais, Roberto inverteu a ordem e parou uma volta antes de Alves na tentativa de assumir a ponta. A estratégia funcionou. Com a segunda parada do piloto da equipe tricolor, os pilotos saíram lado a lado até o mergulho (ou escalada) para a curva 1. Roberto freou dentro mas acabou espalhando, o que permitiu a retoada de Alves. Os pilotos desceram, dividiram a curva 2 com alguns toques, mas roberto se manteve a frente. Muito pressionado o piloto acabou escorregando na saída da curva 16 e Alves reassume a liderança. Na briga pela 5º colocação Aiello passa Marchon na curva 7 após um leve toque “no calcanhar”, segundo Jesias Meira.
Na batalha pela liderança, Alves tentava impor o ritmo mais forte para abrir uma confortável folga para os 10 minutos finais, quando um erro determinou a ordem de chegada. Na desafiadora sequência inicial de curvas, o piloto acabou passando do ponto e escapou na curva 5. Roberto agradeceu o infortúnio, e assumiu a liderança da prova. Ainda houve tempo para a tão presente briga pelo 6ºlugar: Botosso escorregou na curva final do traçado e Marchon aproveitou, percorrendo a Reta dos Boxes lado a lado com o adversário. Botosso tentou o troco na curva 1, mas ao invés de conquistar, acabou perdendo a colocação para o “companheiro” Campos na curva 2. O piloto da Shadow investiu contra Marchon na curva seguinte, mas o piloto da Sinister fez bela defesa. Alguns metros a frente, Campos conseguiu a manobra por fora na curva 2.
Na etapa passada, a briga pelo 3º lugar chamou a atenção até os segundos finais. E nesta etapa o duelo se repetiu. Novamente Barbosa defendia o ultimo lugar do pódio, desta vez de Goñes. O piloto da Snow Schatten chegou a sentir do gosto da champagne, quando passou o adversário da Laranja Mecanica na curva 2, a 1 minuto do encerramento. Mas Barbosa não se abateu e recuperou a posição na Reta Oposta. Ainda houve um toque entre ambos volta final, mas o piloto da Marsch se manteve a frente.
Na coletiva um misto de alegria, decepção e insatisfação. Alegria para Barbosa, que novamente chegou em 3º. O piloto da Marsch frisou que novamente foi uma corrida sem tranquilidade. “Os carros da Snow eram mais rápidos (…) Antecipei minhas paradas e consegui ganhar a posição nos boxes”, finalizou Barbosa. Decepção para Alves, que se limitou a dizer que tinha um ótimo ritmo e a pedir desculpas para todo o staff da equipe, dizendo que o erro foi crucial. Insatisfação para Roberto, que mesmo vencendo, classificou a sua corrida como regular, por oscilar demais durante a etapa. O piloto da Sinister ainda corroborou a opinião de Alves e disse que o adversário tinha um ritmo constante durante a etapa.
Mesmo perdendo a posição após uma penalização na briga com Alves, Roberto tem a chance de decidir o título “em casa”. No conhecido Interlagos, o piloto da Sinister corre pensando no caneco, mas Alves e a trupe da Snow devem dificultar ao máximo a festa do piloto. Teremos um novo campeão e com isso a 3º equipe a vencer nas 3 temporadas da Formula N2? Respostas somente no dia 10/10, a partir das 10 da noite, ao vivo pelo Portal XTR. Tudo leva a indicar que tal qual o novo Windows, teremos uma prova 10… #BaDumTss.

Texto: Vinicius Vianna

Confira a classificação no Link

Austin:Race

Pos Driver Team Car Class Time Gap Laps Points Race%
1 Erick Alves Snow Schatten Racing Team Formula N2 Formula N2 50:57.010 -:–.— 030 64 100
2 Renan Barbosa Marsch Team Formula N2 Formula N2 51:13.077 0:16.067 030 54 100
3 Armando Gones Snow Schatten Racing Team Formula N2 Formula N2 51:16.127 0:19.117 030 47 100
4 Anderson Roberto Sinister Race Team Formula N2 Formula N2 51:19.777 0:22.766 030 42 100
5 Gonzalo Aiello Snow Schatten Racing Team Formula N2 Formula N2 51:29.293 0:32.283 030 38 100
6 Filipe Campos Shadow Racing Formula N2 Formula N2 51:55.298 0:58.288 030 35 100
7 Nathan Marchon Sinister Race Team Formula N2 Formula N2 53:04.162 2:07.153 030 32 100
8 Mauro Botosso Storm Shadow Formula N2 Formula N2 52:05.419 + 1 Laps 029 29 97
9 Rafael Cruz Marsch Team Formula N2 Formula N2 52:08.096 + 1 Laps 029 26 97
10 Diego Said Black Wings RT Formula N2 Formula N2 52:22.384 + 1 Laps 029 23 97
11 Fabio Vasconcelos Dark Shadow Formula N2 Formula N2 52:36.912 + 1 Laps 029 20 97
12 Rogerio Ribeiro 0km Racing Formula N2 Formula N2 52:45.657 + 1 Laps 029 17 97
13 Ricardo Cabrera Condotta 0km Racing Formula N2 Formula N2 DNF + 17 Laps 013 0 43
14 Rafael Sousa Hattrick Formula N2 Formula N2 DNF + 20 Laps 010 0 33
15 Marcio Medeiros Hattrick Formula N2 Formula N2 DNF + 21 Laps 009 0 30

FN2 AUSTIN Punições

Anderson Roberto – 1.2 Contato lateral forçando ultrapassagem +25Segs. (Volta 21/0:13)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: