Skip to content

O retorno do Mito na terra do Rei


“Durães não vence, mas fatura título antecipado da F-N1; Igor vence primeira etapa na temporada e quebra hegemonia.”

Em 1992, o principado de Mônaco viu um embate único entra Senna e Mansell pela vitória. Com um carro acima da média, o inglês, conhecido pelo estilo agressivo, tentou de todas as formas passar o saudoso brasileiro pelas apertadas ruas do circuito. 22 anos depois, um duelo da mesma intensidade foi registrado pela tela da XTR TV. Ricardo Durães (Shadow), que dominara a temporada até então foi desafiado por Igor César (TCA). Durante aproximadamente 40 minutos, o piloto da equipe alvi-celeste suportou a pressão do adversário. No final, vitória de Igor e um terceiro lugar de Durães. A segunda colocação foi de Leonardo de Souza (Snow Schatten), que depois de uma brilhante prova, foi coroado por um erro do piloto da Shadow.

Largar na ponta é sabidamente uma vantagem quando se trata de Mônaco. O charmoso GP, traz uma dificuldade enorme na realização de ultrapassagens. Sendo assim, os 10 minutos de classificação eram vitais. Acertar uma volta em meio a 23 carros era algo de grande dificuldade. Durães conseguiu o feito a 6 minutos do final, mas Igor estava inspirado e no minuto seguinte cravou a volta que lhe garantiria a pole. Depois do termino da classificação, a ordem era a seguinte: Igor César, Ricardo Durães, Leonardo de Souza, Márcio Abduch (eXtreme Unicef), Lucas Alves (Snow Schatten), João Gabriel (Snow Schatten), Pedro França (ThugLife), Carlos Reynaud (Shadow), Neto Vidal (Nordesteam 100Limite), Wagner Vezzali (eXtreme Unicef), Tiago Bandeira (Storm Shadow), Cássio Sauer (Storm Shadow), Renyr Clarêncio (Nordesteam 100Limite), Marcelo Becker (VBM), Fábio Muniz (TCA), Breno Augusto (VBM), Walter Borges (Brasileiríssima), Wallace Darienço (Raptors), Marcelo Cosme (Pitbull), Marcelo Fongaro (Pitbull), Evandro Lopes (Nordesteam 100Limite), Raphael Brito (Raptors) e Adriano Dino (Raptors).

Durães larga bem, mas Igor mantem a linha de dentro na Sainte Devote e passa na primeira colocação. A receio com a primeira curva ficou em segundo plano, todos os pilotos passaram ilesos a ela. Reynaud também fez boa largada e superou Abduch e Gabriel. Muniz e Borges tiveram problemas e abandonaram antes do apagar das luzes verdes. Gabriel escorregou na freada para a temida Sainte Devote e acabou batendo e perdendo a asa dianteira. A primeira curva parecia ter um imã para os carros da Snow Schatten. Na volta seguinte, após colidir com Fongaro, Alves virou passageiro do seu bólido e bateu contra a mesma curva. O piloto abandonou na subida da Rivage.

Enquanto isso na 10º posição uma disputa acirrada entre Augusto, Vezzali, Becker e Sauer vinha tomando boas proporções, mas minutos depois, um toque entre Vezzali e Augusto na Rascasse fez com que o piloto da VBM rodasse e “fechasse o transito” na curva. Evandro vinha rápido e não conseguiu frear a tempo, colidindo com Augusto e perdendo a asa dianteira. Nesse instante, passados 10 minutos, pareceu que as bruxas resolveram atormentar alguns pilotos: Becker abandonou por problemas de conexão; Cosme e Vezzali, por acidentes.

Enquanto isso Durães, com um belo carro em homenagem a Ayrton Senna, travava seu embate com Igor. O piloto da TCA escorregou para a freada da Sainte Devote e Durães, para evitar o toque mais forte, rodou e acabou pendendo a segunda colocação para Leonardo. A primeira curva do circuito monegasco foi a vilã da etapa. Em mais um enrosco na curva, uma cena inusitada. Evandro perdeu a traseira e rodou na curva. Até então um lance comum, não fosse que o piloto da Nordesteam 100Limite ficou parado na faixa de saída dos boxes, impedindo que Darienço retornasse à pista.

Outro ponto complicado do traçado é a freada do “S” da Piscina. E foi lá que Sauer acabou ficando enroscado sobre os anti-cuts, sendo forçado a abandonar a prova, restando ainda 40 minutos para o fim. Minutos depois, novamente Evandro teve problemas e também se enroscou na curva que vitimara Sauer. Mas com muito heroísmo, conseguiu tirar o bólido do lugar e voltou à pista. O piloto foi recompensado ao final da etapa com a camiseta do sorteio dos “Heróis de Mônaco”.

Lá na frente, depois dos pits, Durães seguia pressionando Igor, tentando achar um improvável lugar para a ultrapassagem. França achou esse local. Pressionando Reynaud, o piloto da ThugLife havia colocado por fora na Rascasse. O piloto da Shadow manteve a linha mas escorregou na freada para a entrada da reta dos boxes e França o superou. O piloto da Shadow não teria uma corrida tranquila. Depois do forte acidente de Breno na Tabac, a 14 minutos do fim, Reynaud acabou colidindo com o carro da VBM perdendo a asa dianteira. Enquanto isso, seu companheiro de equipe seguia a menos de 0.5 segundos de Igor. Mas em um erro atípico, Durães rodou na entrada do Túnel, perdendo a posição para Leonardo.

Darienço vinha fazendo boa prova, na 11º colocação. Mas a observação feita pelo comentarista Jesias Meira não trouxe muita sorte ao último representante da Raptors em pista. O piloto escorregou na saída da Anthony Noghes e colidiu com o muro, sendo forçado a abandonar. O fato foi motivo de risos do narrador Ulisses Oliveira.

Risos e comentários a parte, Igor seguiu firme e venceu a etapa, sendo seguido de Leonardo, Durães, França, Abduch, Reynaud, Gabriel, Bandeira, Clarêncio, Vidal, Fongaro e Evandro. Na coletiva, Leonardo destacou o “desempenho de gala” de Durães durante a etapa e o campeonato como um todo. O piloto da Snow Schatten ainda disse que teve uma corrida “tranquila”, mas que os 10 minutos finais foram mais emocionantes devido a pressão de Durães. Já Igor destacou a vitória tensa, andando pressionado por quase todo o tempo. “Quem errasse menos, levaria a vitória… e eu acho que errei pouco”, disse o piloto que também aproveitou para anunciar a despedida da equipe TCA.

Mas quem estava mais empolgado era Durães. Com o terceiro lugar e o título garantido, o piloto da Shadow destacou:” A corrida em Mônaco começa no qualy”. Durães ainda destacou a volta excelente que Igor fez no treino classificatório. “Tentei me manter calmo e acompanhar o Igor para ultrapassar nos boxes (…) esqueci de tirar os danos na última parada e voltei atrás”. Por fim, o piloto da Shadow agradeceu a toda a equipe e dedicou o título a todos os integrantes: “Lutamos muito para desenvolver o carro”.
Com o campeonato decidido, a última etapa vem em tom de festa. Mas ainda guarda fortes disputas. O vice campeonato ainda está aberto e ao menos 4 pilotos lutam por ele. O circuito da Catalunya recebe a despedida na T1. Acompanhe todos os lances e disputas ao vivo, dia 18/05 as 20:30 pela XTR TV.

Texto: Vinicius Vianna

Veja o VT da etapa

Resultado da Etapa

(Clique no ícone abaixo)

puntatore

Penalizações

Artigo 1.9.1 Realizar “BRAKE TEST” (desacelerar abruptamente em local inesperado);

Volta 5  Marcelo Fongaro em Lucas Alves (20seg)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: