Skip to content

Pintado el Campeón?


Carlos Martín vence novamente e se aproxima do título; Riffel tem nova corrida complicada e vai para o tudo ou nada.

Ele estava “do lado de casa”. E não fez feio para a torcida. O “Espanhol Voador”, Carlos Martín (Snow Schatten) reinou absoluto no principado de Mônaco e venceu pela 4º vez na temporada e caminha a passos largos para a conquista do título. Cristiano Bohessef (Snow Schatten) fez sua primeira prova na categoria e terminou numa excelente segunda colocação, promovendo a dobradinha da equipe tricolor. A equipe só não fez uma trinca ou trincadinha por que Renan Lopes, em prova consistente, chegou na terceira colocação.
O sempre complicado circuito de Mônaco recebeu semifinal da FN2 – T1. O sempre charmoso autódromo já mostrou seu desafio desde a sessão classificatória. Mesmo com um número reduzido de carros em pista (12), o desafio era achar uma volta limpa. Com 5 minutos, Roberto era o pole, mas logo foi superado por Martín. Riffel até o momento não tinha volta computada, e só conseguiu marcar a 1 minuto do fim, ficando com a pole. Mas a alegria do piloto da 0km durou pouco. Devido a uma punição da etapa anterior, Riffel perdeu uma posição no grid, deixando a posição de honra para Martín.
Com as alterações, o grid ficou da seguinte forma: Carlos Martín, Marcos Riffel (0km), Anderson Roberto (Sinister), Cristiano Bohessef, Armando Gones (Snow Schatten), Renan Lopes, Nathan Marchon (Sinister), Otavio Messano (Sinister), Pedro Moura (Kemba), Ricardo Cabrera (0km), Rafael Santucci (Maserati) e Vinicius Vianna (Maserati). Antes mesmo da largada, um enrosco entre Messano e Moura na Louis Chiron (Curvas 13 e 14). O piloto da Sinister vai aos boxes, enquanto o adversário da Kemba decide largar.
Na largada, Martín mantém a ponta, sendo seguido de perto por Riffel. Com muita dificuldade, Moura consegue chegar aos boxes. A “sorte de campeão” de Martín começo a agir logo com 4 minutos de prova. Riffel passou do ponto na Sainte Devote e acabou ficando sem asa dianteira. O piloto da 0km levou o carro para os boxes mas caiu para as posições finais e teria de começar uma prova de recuperação no desafiador traçado. E conseguiu, fazendo bela manobra sobre Santucci no “S” da Piscina (Curvas 15 e 16). Depois na reta dos boxes, teve o caminho facilitado pelo companheiro Cabrera. Aliás, aproveitando-se disso, Santucci ultrapassou o adversário da 0km com quem disputara desde o inicio da corrida. E no Harpin (Curva 6), 5 minutos mais tarde do acidente, Riffel já era o 7º após superar Vianna.
Mas parecia que o piloto da 0km acordara com o pé esquerdo. Além de ver o companheiro de equipe abandonar minutos antes, Riffel ultrapassar Marchon quando escorregou na saída na Anthony Noghes (Curva 19) e novamente perdeu a asa dianteira. Outro abandono registrado foi o de Roberto, que escapou na Loius Chiron e bateu forte no “S” da Piscina.
Um dos destaques da prova foi Lopes, que fez duas belas ultrapassagens. Uma após o erro de Gones entre as Curvas 13 e 14, e outra na Nouvelle Chicane, depois de usar todo o vácuo de Marchon no Tunel. Lá atrás, Riffel insistia em sua prova de recuperação e a 19 minutos do fim, o piloto ultrapassa Messano e assume a 6º colocação. Com os 2 primeiros lugares praticamente definidos, a briga pela ultima vaga no pódio foi árdua. Mas novamente Lopes supera Marchon na Nouvelle Chicane e assume o terceiro posto. O piloto da Sinister ainda perdeu mais uma posição devido a uma penalização.
Com uma corrida tranquila e num ritmo à parte, Martín cruza em primeiro, sendo seguido por Bohessef, Lopes, Gones, Marchon, Riffel, Messano, Moura, Santucci e Vianna. Já na coletiva, Lopes enalteceu a disputa com Gones, dizendo que era mais uma guerra cerebral. O piloto ainda disse que errou na estratégia e acabou com muita gasolina no fim da prova. Bohessef se mostrou mais que satisfeito com o resultado e disse que sua meta era terminar e não se envolver em acidentes. Já Martín, disse que esta foi uma corrida difícil, e que desde o começo enfrentou problemas com seu equipamento. O piloto da Snow Schatten disse que seu ritmo era próximo ao de Riffel e que não esperava ter vencido a corrida.
Os pilotos partem para a final e Martin terá a seu dispor novamente o fator casa. Em Catalunya, mais um campeão será coroado. Riffel ainda mantém chances, mas o espanhol tem a vantagem de vitórias ao seu favor. Quem se sagrará o novo campeão na FN2? Na próxima sexta, as 22:00, ao vivo pela TV XTR a resposta a essa pergunta!

Texto: Vinicius Vianna

Confira o VT

Confira a Classificação

puntatore

Penalizações

Marcos Riffel: Volta 19 – 1.6 Cortar linhas dos boxes (na saída) x2: acréscimo de 10 segundos no tempo final de prova.

Pedro Moura: 1.8 Causar acidentes em volta de apresentação – Sem classificação para próxima etapa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: