Skip to content

Só não fez Chover


“Fernando Alvarenga faz bonito no GP Inglês e traz vitória pra casa; Grid reduzido não impede boas disputas.”

O saudoso Ayrton Senna não só renomeou a casa do automobilismo britânico para Silverstone, mas também deu aos súditos da rainha uma apresentação de gala em Donnington Park debaixo de chuva. Fernando Alvarenga (KBR) parece ter se inspirado no ídolo brasileiro e fez uma apresentação de gala em Silverstone, saindo de ultimo e vencendo a prova. Fabrício Matheussi (FireHorse) fez uma prova dentro da normalidade, como o próprio piloto declarou na entrevista. Fecha o pódio o desacreditado Pedro Delgado (MIG), que “calou a boca da sociedade” ao aliar uma tocada constante a uma estratégia ousada.
Um grid atípico para a categoria que foi destaque no ano passado. A TN1 contou com somente 13 carros alinhados para a segunda etapa. Mas o baixo numero de veículos não impediu que houvessem disputas intensas pelos 5.891m do traçado inglês. Na sessão classificatória um domínio da FireHorse e da Storm Shadow. Ao final dos 10 minutos a classificação era a seguinte: Alexandre Santos (FireHorse), Tiago Carvalho (FireHorse), William Fernandes (Storm Shadow), Fabrício Matheussi, Pedro Delgado, Ricardo Durães (Storm Shadow), Cássio Sauer (Shadow), André Marques (), Sindey Souza (Videre), Robson Vieira (Storm Shadow), Roni Champ (Videre), Raphael Sabará (Black Nagata) e Fernando Alvarenga.
Na largada Carvalho pula para a 1º posição, sendo acompanhado por Matheussi, formando assim uma trinca da FireHorse nas primeiras posições. Alvarenga larga bem e na saída da Brooksland assume a 6º posição ao ultrapassar Delgado. Começava então a escalada do piloto da KBR. Voltas depois, o piloto já pressionava Fernandes. O piloto supera o adversário da Storm Shadow na Stowe. Enquanto isso, Delgado pressionava Durães e Marques tentava a ultrapassagem pra cima de Sauer, mas acabou perdendo ao carro na nova Arena de Silverstone.
Alvarenga continuava sua “caçada” e desta vez as FireHorses eram as vitimas. Santos viu o piloto da KBR o superar na Stowe. A essa altura , o comentarista Victor Hugo já destacava a prova de Alvarenga: “É destaque, não é impossível vencer“. Lá na ponta, troca na liderança: Matheussi supera Carvalho na Vale. Já sentindo o desgaste dos pneus, Carvalho vai aos boxes, dando inicio da rodada de paradas. Com o abandono de Santos, Alvarenga já era 3º e começou a pressionar Carvalho, buscando a ultrapassagem na saída da Copse. O piloto da FireHorse se mantém a frente tangenciando melhor na Maggotts . Mas sofrendo pelo alto desgaste de pneus da sua Mercedes SLS, o piloto da equipe tricolor é obrigado a fazer nova parada, liberando o caminho para Alvarenga.
Marques vinha em busca de mais posições e na tentativa de ultrapassar Vieira, mas perde a traseira do seu Ford GT e acaba pego por uma das armadilhas de Silverstone: as altas zebras, que seguraram seu carro e o forçaram a abandonar a prova. Enquanto isso, Matheussi faz sua segunda parada e Alvarenga assume a ponta da corrida com isso, arrancando de Ulisses Oliveira a expressão Alvarengastone. Estranhamente, Carvalho para novamente nos boxes, perdendo duas posições e com isso a sociedade (ou comentarista e narrador) é obrigada a se calar ao ver Delgado assumir o 3º posto com seu Audi R8.
Os minutos finais de prova ainda contaram com um pequeno susto de Durães na disputa com Carvalho. Na Stowe o piloto da Storm Shadow vinha defendendo posição quando se deparou com a Videre de Champ. Com um bom reflexo, e contando com a generosa área de escape, o piloto conseguiu trazer seu carro de volta a pista, mas perdeu a posição pra o adversário. Enquanto isso, “conduzindo Miss Dayse“ Alvarenga trouxe seu Ford GT para a linha de chegada, vencendo uma das melhores provas já vistas no AV, segundo Victor Hugo.
Já na coletiva, Delgado confessou que se surpreendeu com o resultado pelo pouco tempo de treino antes da largada. Já Matheussi destacou que duas paradas eram a melhor estratégia para os Mercedes. Já Alvarenga, que não pode participar do briefing, disse que já sabia que teria que largar do fim do grid. Ainda disse que chegou no limite do pneu e dedicou a corrida a mãe, que venceu a batalha contra o câncer.
Os pilotos já estão se preparando para a desafiadora Laguna Seca. Os carros de turismo mais potentes do AV terão um grande desafio em uma das tradicionais pistas da terra do Tio Sam. Novo show de Alvarenga? Reação da FireHorse? Ascensão de outras equipes? Respostas a partir das 20:30 do dia 16 de Março, ao vivo pela TV XTR.

Texto: Vinicius Vianna

Assista o VT

Veja o Resultado da etapa clique AQUI
TOP 5 Pilotos
Pos Name Team Points Gap Starts Poles Wins Podiums
1 Fernando Alvarenga KBR Racing 106 0 2 0 1 1
2 Fabricio Matheussi Fire Horse Power 94 12 2 0 0 1
3 Tiago Carvalho Fire Horse Racing 85 21 2 0 0 1
4 Robson Vieira Storm Shadow 64 42 2 0 0 0
5 Alexandre Santos Fire Horse Racing 63 43 2 1 1 1
Top 5 Equipes
Pos Name Points Gap Starts Poles Wins Podiums
1 Fire Horse Racing 180 0 5 1 1 2
2 Storm Shadow 156 24 6 0 0 0
3 KBR Racing 106 74 2 0 1 1
4 Fire Horse Power 94 86 2 0 0 1
5 Shadow Racing 87 93 2 1 0 1

open one logo

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: