Skip to content

Em terra de dianteiro…


“Repaginada, Clássica categoria da NeoBR, estreia com corrida intensa, boas disputas, e diferença na estratégia; Anderson Roberto fatura vitória com uma das poucas BMWs;”

Estilos… Dois carros totalmente diferentes, uma BMW com tração traseira arisca porém com baixo consumo de pneus, um Seat dianteiro, com tocada fácil e alto consumo de pneus. Este era o cenário para a estreia da antiga Turismo NeoBR, agora Turismo N2. A escolha dos carros passava antes pelas preferencias de cala piloto. O que vale mais? Uma segurança maior e vantagem em voltas rápidas ou um maior desgaste no braço tendo como prêmio uma constância na corrida? Anderson Roberto (Sinister) escolheu a constância e ousando em uma estratégia de não trocar pneus, chegou ao degrau mais alto do pódio. Ricardo Salguerinho (Red Arrow Target) faturou o segundo posto depois de perder belo embate com o vencedor a um minuto do final. Fecha o pódio Gilson Rodrigues (Kemba Snow Schatten) que veio em um ritmo mais conservador.
Em Daytona 25 carros alinharam no Grid, desses apenas 3 carros eram BMWs. A equipe Sinister investiu na contramão das demais equipes e impediu que se formasse um Copa Seat na categoria. Sob o olhar atento dos diretores de prova durante a qualificação, mais rápidos, em teoria, os Seats capitaneados por Henrique Moreira (Target Racing) consolidaram o favoritismo para a sessão e fizeram as 4 primeiras filas do grid, a primeira BMW apareceu apenas na 9ª posição.
Ao final dos 10 minutos a classificação era a seguinte: Henrique Moreira (Target), Robson Vieira (Shadow), Gilson Rodrigues, Ricardo Salguerinho, João Gabriel (Snow Schatten), Luiz Henrique (Shadow), Diogo Moreno (Snow Schatten), Claudemir Correia (Red Arrow Target), Erick Alves (Target), Anderson Roberto, Rodrigo Oliveira (Zanga) (Sinister), Ike Ramos (0km), Gean Celso (Sinister), Marcelo Becker (TCA), Eduardo Bomfim (Shadow), Maurício Rodrigues (TCA), Breno Augusto (TCA), Guilherme Mateazzo (Target), Leonardo Mesquita (Red Arrow Target), Bruno Oliveira (Snow Schatten), Toledo Júnior (0km), Sidnei Souza (Videre), Roni Champ (Videre), Ricardo Cabrera (Condotta 0km) e Junior Nascentes (Flying Get)
Um início de corrida bastante limpo e com disputas intensas, a rivalidade Shadow x Target começava a se desenhar com as 4 primeiras posições sendo trocadas constantemente entre os pilotos das equipes, até a queda de Luiz Henrique e a perda de rendimento, seguido de abandono por conexão de Robson Vieira, abrir caminho para a vitória e possível pódio exclusivo da Target na categoria com Henrique Moreira, Claudemir Correia e Ricardo Salgueirinho.
Mais atrás Ike vinha duelando com Mesquita. O piloto da 0km passou Mesquita na “bus stop”, porém o piloto da equipe alvirrubra não se abalou. Pegando o vácuo proporcionado na grande reta, Mesquita tenta retomar na Curva 1, mas espalha e Ike se mantem. Em uma nova investida, desta vez na International Horseshoe (Curva 3), o piloto chega a tomar a posição, mas espalha permitindo um lindo X do piloto da 0km.
Outra bela disputa ocorreu entre Rodrigo Oliveira, o Zanga, e Eduardo Bomfim. Depois de espalhar na Curva 5, o piloto da Sinister viu o adversário o superar, mas se posicionou muito bem na próxima curva e conseguiu reassumir o posto. Nova espalhada na saída da Curva 6 do piloto da equipe rubro-negra, permite a Bonfim nova ultrapassagem, mas se valendo da maior potência de seu BMW, Zanga passa novamente antes da freada para a “bus stop”. Bomfim então contorna melhor a rápida sequência de curvas e sai no encalço do adversário, o ultrapassando no início da reta. Zanga então resolve dar pontos finais, usando novamente a força do motor antes da freada para a Curva 1.
Mais atrás a BMW de Anderson Roberto trabalhava sua estratégia ousada de apenas abastecer nas duas paradas, sem trocar pneus o piloto assumiu a 3ª posição no stint final travando dura batalha com Salgueirinho até a última volta. O piloto da Target vinha no melhor momento de seus pneus recém trocados e assumiu o terceiro posto em uma manobra na Curva 1, mas acabou espalhando na Curva 3 e permitiu que Roberto ascendesse. Os mais atentos devem estar se questionando: Como Roberto, terceiro colocado, venceu a prova? A decisão final da prova veio depois da bandeirada, após os protestos e análises de cortes. Durante o briefing, a direção optou por proibir tocar a grama na chicane (bus stop). Os toques foram punidos severamente conforme regulamento alterando o resultado final da etapa.
Então, Anderson Roberto ficou com a primeira posição seguido por Ricardo Salgueirinho e Gilson Rodrigues. Por equipes a Red Arrow Target Racing lidera com 119 pontos. A noite teve a estreia das equipes Videre Team Racing e Flying Get MotorSports Division na NeoBR. Ambas debutaram com o pé direito, completando a prova e marcando seus primeiros pontos na liga.
A TN2 volta a se reunir na próxima semana no lendário circuito de Silverstone. Duas baterias de 30 minutos com grid invertido na segunda. Em quem você aposta? No arisco e econômico BMW ou no dócil e gastão Seat? Respostas serão dadas no dia 21 de fevereiro, a partir das 22:00!

Resultado da Etapa

Clique no ícone abaixo

puntatore

Top Five da Categoria

Pos Name Team Points Gap Starts Poles Wins Podiums
1 Anderson Roberto Sinister Race Team 62 0 1 0 1 1
2 Ricardo Salgueirinho TARGET Red Arrow 54 8 1 0 0 1
3 Gilson Rodrigues Kemba Snow Schatten 47 15 1 0 0 1
4 Diogo Moreno P2P Snow Schatten Racing Team 42 20 1 0 0 0
5 Eduardo Bomfim Shadow Racing 38 24 1 0 0 0

Análise de protestos

Análise Daytona TN2
Breno Augusto X Sidnei Souza/ Volta 1 – Procedente (Art 1.1 + 25 seg) Total + 50 seg por incidente na 1ª volta.
Robson Vieira X Claudemir Correa/ Volta 4 – Procedente (Art 1.1 + 25 seg)
Bruno Oliveria X Maurício Rodrigues/ Volta 1 – Procedente (Art 1.12.2) 1ª volta. 5 posições e largar sem classificação
João Gabriel X Ike Ramos/ Volta 2 – Procedente (Art 1.1 + 25 seg)
Guilherme Mateazzo X Marcelo Becker/ Volta 4 – Procedente (Art 1.1 + 25 seg)
Leonardo Mesquita X Ike Ramos/ Volta 4 – Procedente (Art 1.5 + 5 seg)

Cortes de pista na Chicane
H Moreira – Voltas: 2,3,4,5,6,7,8,9,10,12,13,14,15,16,17,18,19,20,21,22,23,24,25,26,27;
R Vieira – Voltas: 2,3,5;
L Henrique – Volta: 2;
E Alves – Voltas: 2,4,5,6,7,8,9,10,12,13,14,15,18,19,20,22,23,24,25,26,27;
R Champ – Volta: 2;
C Correa – Voltas: 3,4,5,6,8,10,11,15,16,18,21,22,23,24,26;
D Moreno – Voltas: 3,4,5,7,18,27;
J Gabriel – Volta: 3;
R Salgueirinho – Voltas: 4,22;
G Rodrigues – Voltas: 5,12,13,24;
S Souza – Voltas: 11,16;
M Rodrigues – Volta: 13;
R Oliveira(Zanga) – Volta: 16;
G Mateazzo – Voltas: 18,24,26;
A Roberto – Volta: 17;
B Augusto – Voltas: 3, 5, 7;
I Ramos – Voltas: 4, 5, 6, 8, 9, 10, 12, 14, 15, 19, 20, 22, 23, 25, 27;
Obs.
1- Os pilotos Henrique Moreira, Erick Alves foram desqualificados da prova por excesso de cortes em ponto determinado para não ser utilizado em momento algum.
2-O piloto Ike Ramos foi desqualificado da prova por excesso de cortes, e estar envolvido em mais dois incidentes, recomenda-se ao piloto mais prudência na execução das manobras realizadas, principalmente em disputa de posição.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: