Skip to content

Estreia de Campeão


Guilherme Faustini começa ano vencendo; Felipe Correia luta até o final mas fica com segundo posto; Estratégias proporcionam reviravoltas.

Em seu debute nos Fórmulas na NeoBR, Guilherme Faustini (POT Racers) manteve a tônica que o levou a conquistar o primeiro título de rFactor2 no âmbito nacional. Assim como na extinta Clio Challenge, o piloto economizou seus pneus até o limite, proporcionando uma enorme reviravolta na corrida. Felipe Correia (Target) dominou os treinos, cravou a pole e liderou até o pit-stop. Mas a estratégia não foi sua aliada. O piloto da equipe alvirrubra voltou atrás de adversários que optaram por não parar e acabou perdendo tempo. Pedro Delgado (MIG Motorsport) fechou a trinca vitoriosa seguindo os passos do vencedor.
Sob o escaldante sol malaio, que já prometia um desgaste critico aos pneus, a Fórmula Renault 3.5 fez sua estreia. Os bólidos que atingem quase 270 Km/h foram estressados e testados no exigente traçado. O segredo seria buscar um equilíbrio entre alta velocidade e setores mais travados. Durante os 10 minutos classificatórios o que se viu foi pilotos buscando a exaustão a perfeição e o tempo rápido. A tarefa era difícil, e o resultado foram rodadas, escapadas, travadas de pneu e batidas. Ao final do período, os pilotos tinham as seguintes posições:
Felipe Correia; Geison Alves (Target); Aécio Teles (POT Racers); Pábulo Alves (Target); Guilherme Faustini; Pedro Delgado; Gean Celso (Sinister); Rodrigo Campos (Shaft); Daniel Schimidt (Unl1m1ted Alpha); Bruno Vieira (KBR); Fabiano Ramos (Unl1m1ted Alpha); Rodrigo Borba (Red Arrow Target); Rodrigo Oliveira; Antenor Júnior (Shadow); Adriano Dino (Home Edition); Valter Siqueira (Unl1m1ted Omega) e Osvaldo Aranha (Unl1m1ted Alpha).
Logo antes da largada problemas para o campeão da antiga Fórmula 4.0. Geison Alves foi obrigado a partir dos boxes. Isso poderia ser um benefício para o piloto, dada a dificuldade da primeira curva. Mas Rodrigo Oliveira acabou freando tarde demais e tocando Bruno, provocando um famigerado “Opaaa!” do narrador Jesias Meira. A confusão foi estabelecida entre as curvas 1 e 2, culminando no abandono de Oliveira. Geison e Bruno tiveram que se arrastar até os boxes sem as asas dianteiras. Quem soube passar bem por essa tormenta foi Rodrigo Campos, que já figurava na 3º posição ao final da volta 1.
O que se pode perceber é que o simulador é bem exigente em relação aos pneus. Até a pista ganhar uma certo emborrachamento, vários pilotos tiveram problemas de aderência, com escapadas. A que mereceu mais destaque, foi a de Gean Celso, entre as Curvas 5 e 6. Até a metade da prova, o domínio era da Target, com Felipe e Pábulo. Mas então veio a rodada de pits. E com isso a estratégia da POT Racers e MIG ganharam força e forma. Prevendo que Telles estava na mesma estratégia, Delgado começo a pressionar o piloto da POT. O embate só teve fim longos minutos depois, favorável ao piloto paulista.
Com a ordem de “sentar a bota”, vinda do chefe de equipe, Felipe tratou de tentar resolver logo a situação. Depois de tentar a ultrapassagem na Curva 4 uma volta antes, o piloto da Target supera Telles na Curva 1 e coloca Delgado na alça de mira e realiza uma manobra de alta perícia, valendo-se de melhores pneus, na mesma Curva 1. Freando antes e tomando melhor tangência, o piloto executou um belo X ajudado pela falta de aderência do adversário.
A corrida contou com poucos abandonos. Schimdt e Dino abandonaram por razões até então desconhecidas. Já Pábulo, escapou entra as Curvas 13 e 14 e colidiu forte perdendo asas dianteiras e traseiras.
Já na coletiva, Delgado destacou que a turbulência aerodinâmica causou grandes problemas para realizar as ultrapassagens. Opinião que foi corroborada por Felipe que confessou que tentou abrir a maior distância possível para Faustini, já prevendo que o piloto não faria paradas. O “Jedi” da economia de pneu, segundo Felipe, abriu a participação na coletiva dizendo que se divertiu muito. O piloto da POT Racers ainda agradeceu a ajuda recebida pelo companheiro e por Delgado por terem segurado o adversário da Target. “A experiência adquirida no Clio me ajudou muito…” finalizou Faustini.
Os pilotos agora embarcam rumo a terra do Tio Sam para o desafio em Mills Metro Park, na tentativa de quebrar o domínio de Faustini no novo simulador. Há quem diga que muitos já se aliaram ao lado negro da Força. É aguardar e conferir dentro de 15 dias!

“Texto: Vinicius Vianna”

Assista ao VT da Corrida

Advertências

– Rodrigo Oliveira: Atenção à largada, ao ponto de frenagem correto.

-Rodrigo Campos: Atenção às ultrapassagens perigosas, nenhum incidente ocorrido.

-Bruno Vieira: Atenção a aceleração após incidentes, rodadas.

Resultado da Etapa

puntatore

TOP 5 da Categoria

Pos Name Team Points Gap Starts Poles Wins Podiums
1 Guilherme Faustini Pot Racers 62 0 1 0 1 1
2 Filipe Correia Target Racing 56 6 1 1 0 1
3 Pedro Delgado Mig MotorSport 47 15 1 0 0 1
4 Aecio Telles Pot Racers 42 20 1 0 0 0
5 Rodrigo Campos Pro Evolution Racing 38 24 1 0 0 0

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: